Textões

Acha o Romero ruim? Desculpe, mas você não entende de futebol

Se você é daqueles que acha o Romero ruim, provavelmente entrou nesse texto pensando algo do tipo: “como esses falam que o Romero é bom? Ele não sabe chutar, nunca fez gol de fora da área, não tem habilidade, não dribla ninguém no mano a mano”. É por aí? Pois então, você tem razão em todos esses pontos. E ainda assim o Romero é um grande jogador.

Tecnicamente, ele provavelmente seja inferior a Marquinhos Gabriel, Clayson, Lucca e outros que foram reservas do paraguaio. Mas futebol não é concurso de embaixadinhas, competição de caneta. É um jogo cujo objetivo é fazer mais gols que o adversário – e nisso Romero ajuda mais que qualquer um dos citados acima.

Romero pode não driblar ninguém, mas você já viu ele acompanhando o lateral adversário? Já percebeu como quase não tem contra-ataque do lado dele por que ele faz a cobertura quando o lateral avança? Já testemunhou ele correndo que nem doido o campo inteiro atrás do adversário até roubar a bola, tocar nela ou até mesmo fazer aquela falta importante que dá tempo para a zaga se organizar? Eu já vi tudo isso, algumas vezes por partida, inclusive.

Nesse aspecto, os números não mentem. Ao final da 35ª rodada do Brasileirão, quando o Corinthians garantiu o hepta, Romero teve 68 desarmes (dados Footstats) e ficou atrás apenas de Fagner (83) no Timão. Ou seja, ele roubou mais bolas que Gabriel, Maycon, Pablo, Balbuena…

“Ah, mas o cara é atacante e você vem falar de roubar bola? Coloca ele de volante então!”. De fato, marcar não é a função primordial de um atacante. Mas o desempenho do paraguaio na frente não é ruim assim. Apesar de todas as suas limitações, ele é o artilheiro da Arena. Pode ser de carrinho, de orelha, do jeito que for, mas ninguém marcou mais gols que ele na casa do Timão.

Romero pode não ser o melhor nas finalizações, nos dribles, ou não ser o mais veloz, mas tem dois fundamentos em que ele é realmente bom. O primeiro deles é sofrer faltas. No Timão, ninguém chega perto dele nesse quesito. Foram 93 infrações contra 56 em Rodriguinho, o segundo na lista (números até a 35ª rodada, quando o campeonato acabou efetivamente).

O outro fundamento é o passe. No primeiro turno do hepta, na casa do Palmeiras, todos se lembram da atuação de gala do lateral Guilherme Arana, no jogo que ficou conhecido como “Allianz Arana”. Mas é fácil esquecer dos pés de quem surgiram os gols da vitória por 2 a 0. Dele mesmo, Romero:

Duas assistências precisas que foram determinantes para uma das vitória mais importantes da campanha. Na segunda, um lançamento perfeito para Arana, que não teve o trabalho nem de ajeitar antes de bater no gol. E o primeiro lance foi uma definição perfeita do que é Romero: ele se apresentou na área, mas o cruzamento do Rodriguinho foi forte demais; ele não desistiu, deu raça e foi buscar a bola quase na bandeirinha de escanteio; ao chegar, deu seu passe característico no ponto futuro, com a força perfeita – se fosse mais forte, o zagueiro chegava; se fosse mais fraco, Arana não alcançava.

Os gifs acima também mostram outro fator que não tem a ver com técnica ou habilidade, mas com personalidade: Romero cresce nos clássicos. E não é de hoje. Ele deu um show no 6 a 1 sobre o São Paulo, em 2015, no jogo da taça do título brasileiro – o lateral Reinaldo ainda deve ter pesadelos com o paraguaio. Neste ano, em todos os jogos contra o Palmeiras. No primeiro, vitória por 1 a 0 no Paulista, ele colocou o Dudu no bolso. No Allianz Arana, deu assistências decisivas. E no segundo turno, na vitória por 3 a 2 na Arena, Romero foi o melhor em campo – ele inclusive acabou com uma seca de quatro meses sem marcar justamente para abrir o placar para o Timão.

Romero chegou ao Corinthians em 2014. Veio quietinho, sem alarde. Aguentou críticas da torcida, ironias da imprensa e até brincadeirinhas de apresentador de programa da Globo. E sempre trabalhou por seu espaço. Em 2017, a chance veio: atacante titular absoluto do Corinthians. E ele se tornou a personificação do time campeão brasileiro: humilde, brigador, raçudo, campeão.

Por essas e outras, Romero, você tem toda a razão quando manda esse recado:

 

Deixe um salve